RETINOPATIA 

É o termo utilizado para designar formas de lesões não inflamatórias da retina ocular. Normalmente é associada a deficiente aporte sanguíneo. Com frequência, as retinopatias são manifestações localizadas de doenças sistémicas.

As principais causas e diferentes tipos de retinopatia são:

  • diabetes: retinopatia diabética
  • hipertensão arterial: retinopatia hipertensiva
  • prematuridade do recém-nascido: retinopatia da prematuridade
  • anemia falciforme
  • exposição solar directa: retinopatia solar
  • medicação
  • oclusão retinal e venal

A retinopatia pode progredir para cegueira se for severa ou afectar a mácula
Esta condição pode ser diagnoticada por um oftalmologista ou ortoptista clínico durante um exame ocular. O tratamento depende da causa da doença.

RETINOPATIA DIABÉTICA

O diabetes é uma doença progressiva, que afeta, entre outras áreas do corpo, os vasos sanguíneos do olho. Portadores de diabetes apresentam um risco de perder a visão 25 vezes maior do que os demais. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a retinopatia diabética atinge mais de 75% das pessoas que têm diabetes há mais de 20 anos. O controle cuidadoso do diabetes, com uma dieta adequada e acompanhamento médico são as principais formas de evitar o desenvolvimento da retinopatia diabética. Para manter a visão, diabéticos devem passar rotineiramente por uma consulta oftalmológica.

Tratamentos

O controle cuidadoso do diabetes com uma dieta adequada, uso de pílulas hipoglicemiantes, insulina ou com uma combinação desses tratamentos, prescritos pelo médico endocrinologista, são a principal forma de evitar a retinopatia diabética.

Fotocoagulação por raio laser: é o procedimento pelo qual pequenas áreas da retina doente são cauterizadas com a luz de um raio-laser na tentativa de prevenir o processo de hemorragia. O ideal é que esse tratamento seja administrado no início da doença, possibilitando melhores resultados, por isso é extremamente importante a consulta periódica ao oftalmologista.